Quitaiús e a Festa do Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014 Por:Manoel Severo

Caravana Cariri Cangaço na fazenda do Cel. Joaquim Leite em Quitaiús

já pensamos que havíamos visto tudo de nosso imenso cariri, a programação do Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014 nos proporciona um encontro memorável com a história e a raiz de nossa região: O distrito de Quitaiús.  

Vamos nos valer do grande Dimas Macedo para apresentar o distrito de Quitaiús em 
Lavras da Mangabeira:

"Quitaiús tem uma raiz social diferente, uma comunidade fraterna e solidária e um jeito de pensar as coisas do saber que nos escapam à observação. E é por isto que precisamos de alguém para explicar a sua trajetória e nos dizer o tecido da sua evolução, com o domínio completo da palavra dos que nascem totais para escrever. Quitaiús é uma terra visivelmente protegida por Deus. Nação de mulheres vigorosas. Pátria de famílias ordeiras e ilustres. E de seres humanos que encarnam as melhores virtudes sociais.Os estigmas da fé em São Francisco e em Nossa Senhora do Rosário parecem que são fortes entre os que ali mourejam, de sorte que Quitaiús tornou-se, com o tempo, o lugar das vocações sacerdotais do município, mercê, talvez, da influência do Padre Cícero Romão de Juazeiro sobre o destino da comunidade."


Alunos do 7º ano da Escola Joaquim Teixeira
Altar da Igreja de Quitaiús
Espetacular Exposição dos alunos da EJTL

Taynara e a recepção para os convidados Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014
Emerson Monteiro, Dimas Macedo e Malvinier Macedo

 Ester Esmeraldo, Malvinier Macedo e Cristina Couto
Luiz Augusto e Dimas Macedo
Manoel Severo, Cristina Couto, Luiz Augusto e Ari Camargo

E continua Dimas Macedo:"Impressiona-me que Quitaiús tenha dado onze sacerdotes à constituição do clero cearense, contando-se entre eles duas importantes figuras da Igreja Católica do Brasil: monsenhores José Edmilson de Macedo e Alonso Benício Leite. E que dali sejam naturais o padre Manoel Machado e o não menos renomado, Claírton Alexandrino de Oliveira, vigário-geral da arquidiocese, reitor da Igreja do Rosário e orgulho máximo da colônia lavrense em Fortaleza."

Tendo como um dos anfitriões da manhã, o próprio poeta, escritor e historiador Dimas Macedo e secretária Cristina Couto, a caravana Cariri Cangaço Lavras 2014 teve a oportunidade de conhecer esse cenário marcante da vida de nossa Lavras e de todo o Cariri; foi aqui também, nas terras de Cazuza Clemente e Cel. Joaquim Leite Teixeira, que padre Cícero Romão Batista, encontrou abrigo por ocasião dos momentos mais trágicos das perseguições da igreja ao santo de Juazeiro.

Coordenadora Joana D'Arc e Professor Cícero Brito
Cristina Couto, Luiz Augusto, Ari Camargo e Wescley Rodrigues
 Tomaz Cisne e João Calixto Junior
Luiz Augusto, Guerhansbergue Tayllor e Emerson Monteiro

O santo padre da Meca nordestina tinha uma forte ligação com Quitaiús, a partir de sua amizade sólida com Barnabé Leite Teixeira, pai do Cel. Joaquim Leite Teixeira e do Major Moisés e com "Cazuza Clemente do Clã dos Clementes , um dos grandes civilizadores do Riacho do Rosário."

A programação iniciou com a inauguração da exposição de artefatos históricos organizada pelos alunos do sétimo ano da escola Joaquim Leite. Entre as peças apresentadas ao público, estavam o sino e os missais usados pelo próprio padre Cícero no distrito de Quitaiús por ocasião de suas passagens pelo lugar. "Aqui Padre Cícero tinha verdadeiros amigos e aqui recebeu todo o apoio de Cazuza Clemente e Cel. Joaquim Leite Teixeira" reafirma Dimas Macedo.

Senhor Valdemar Clemente
Casa de Cazuza Clemente

A visita se seguiu à Igreja do Rosário; onde se encontra sepultado Cazuza Clemente; e à sua casa, bem do lado da rua principal do distrito, em frente à igreja, onde hoje mora seu bisneto, Valdemar Clemente de 93 anos, com uma memória espetacular. "Vô Cazuza na época da revolução (sedição de Juazeiro) mandou 20 bois e três homens para a linha de frente da batalha" lembra em meio a emoção, Valdemar Clemente. 


Reporter mirim, Wemerson Brito
Fazenda do Cel. Joaquim Teixeira Leite
Cômoda e Vestes usadas por Padre Cícero
João Tavares Calixto Júnior e Manoel Severo
Iris Mendes

Do centro de Quitaiús a caravana Cariri Cangaço Lavras 2014 se deslocou até a emblemática fazenda do coronel Joaquim Teixeira Leite, "era aqui que Padre Cicero se hospedava na época das perseguições" fala Cristina Couto. Ali, em meio a um cenário espetacular se ergue a típica casa de fazenda e nela a cômoda e as vestimentas sacerdotais usadas pelo próprio Padre Cícero naqueles difíceis anos do final do século XIX.

Ainda na fazenda do Coronel Joaquim Teixeira Leite foi apresentado pelos alunos da Escola Joaquim Teixeira o projeto "Resgatando Nossa História", uma espetacular iniciativa da coordenadora Joana D'Arc Bezerra e do professor Cícero Brito. "Resolvemos dá total liberdade aos alunos e hoje estamos colhendo estes frutos" revela o professor Brito. "O projeto é recente, nasceu em julho deste ano, mas os meninos e meninas já estão apresentando um ótimo resultado" afirma a coordenadora Joana D'Arc. 

Weslcey Rodrigues
 Manoel Severo e Malvinier Macedo
Manoel Severo e Ruy Gabriel

Na verdade a iniciativa encantou a todos; "os vídeos apresentados com os repórteres mirins, os receptivos em todos os locais de visita realizados pelos próprios alunos, nos mostraram a grandeza do projeto, construindo a partir da história do lugar o fortalecimento da auto-estima e cidadania daqueles adolescentes" afirma Manoel Severo do Cariri Cangaço. Ficou a lição do quanto ainda precisamos percorrer para colocar a nossa história e a nossa cultura em seu devido lugar. O Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014 em Quitaiús nos mostrou que estamos no caminho certo, agora é continuar o percurso, com muito trabalho e determinação.

Manoel Severo
Curador do Cariri Cangaço
Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014 

Café com Dona Fideralina: Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014

A Bela Matriz de Lavras da Mangabeira

O tempo bom; com um clima atípico para uma manha de setembro em pleno sertão do cariri, com um brisa teimosa a nos acalentar acabou sendo o pano de fundo perfeito para um café da manhã histórico que nos fez retornar no tempo, à época do "império do bacamarte" em plena Lavras da Mangabeira do início do século passado.

Dentro da programação do Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014 a manha deste segundo dia, 13 de setembro, reservou uma surpresa para todos os participantes, a partir do convite para que fossemos tomar café com ninguém menos que Dona Fideralina; a lendária mandatária do mais famoso clã familiar do interior cearense: Os Augustos de Lavras da Mangabeira.

Casa de Fideralina, no centro de Lavras da Mangabeira
Archimedes Marques, Emerson Monteiro, Manoel Severo, Cristina Couto, Jorge Emicles e Reclus De Plá 
Os detalhes cheios de história na casa de Dona Fideralina
Manoel Severo e Tomaz Cisne

Na verdade toda a Caravana Cariri Cangaço foi convidada para participar do café da manhã na famosa residência dos Augustos, de dona Fideralina, no centro de Lavras; cenário e palco das mais importante decisões e episódios que marcaram a história do Ceará por décadas. Dali, de seus salões e recantos eram definidos com pulso de ferro por dona Fideralina os destinos de boa parte da politica destes lado do Ceará e além... muito além.


Professor Pereira, Louro Teles e Archimedes Marques
 Wescley Rodrigues, Reclus de Plá, Guerhansberger Tayllor e Iris Mendes
Louro Teles

Ao café da manhã servido na emblemática casa de Dona Fideralina, bem no centro de Lavras da Mangabeira, estiveram presentes o Curador do Cariri Cangaço, Manoel Severo, a Secretária de Cultura Cristina Couto, os pesquisadores Archimedes e Elane Marques, Professor Pereira e Fátima Cruz, Wescley Rodrigues, Lourival Teles, Iris Mendes, Gerhansberger Tayllor, Arlindo Moreira, Malvinier Macedo, Ester Esmeraldo, Emerson Monteiro, Jorge Emicles, Aristides Camargo, Tomaz Cisne, Reclus De Plá, dentre outros intelectuais, escritores e personalidades da vida cultural do cariri cearense.


 Elane Marques e Wescley Rodrigues
 Archimedes Marques e Manoel Severo
 Malvinier Macedo e Ester Esmeraldo
Reclus de Plá, Manoel Severo, Emerson Monteiro e Professor Pereira

A cada instante e a cada detalhe; fosse nas imagens atemporais de membros da família espalhadas por entre as paredes, ou na mobília e artefatos da época, podíamos vislumbrar a grandeza e a pompa do lugar, dali foram tramadas as principais estratégias para a manutenção do poder do clã Augusto, dali foi montada a resistência contra Quinco Vasques e dali foi definido o apoio decisivo dos Augustos ao movimento da Sedição de Juazeiro em 1911. Pura história. Parabéns Cristina Couto, parabéns Lavras da Mangabeira.


Manoel Severo
Curador do Cariri Cangaço
Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014

Auto de Fé e Padre Cícero abrem Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014

Cristina Couto, Manoel Severo, Carlos Maurício e Prefeito Gustavo Augusto

A apresentação do "Auto de Fé dos Penitentes", pelas ruas de Lavras da Mangabeira, marcou a abertura do Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014. A encenação contou como principais protagonistas os poetas e escritores Dimas Macedo, Cristina Couto e Mundoca Neto. A chegada à Câmara Municipal contou com o cortejo do Grupo de Penitentes do Distrito de Mangabeira e apresentação de poesia pelo poeta Mundoca Neto.
Chegada do Cariri Cangaço Lavras 2014 à Câmara Municipal
 Dimas Macedo, Manoel Severo e Mundoca Neto 
 
 Archimedes Marques, Miran Basílio, José Cícero, Manoel Severo e Ari Camargo 
 Ticiano Linard, Miran Basílio e Manoel Severo
Reclus De Plá, José Cícero, Archimedes Marques, Ari Camargo e Elane Marques

A solenidade teve seu inicio com a formação da Mesa tendo como presidente o Curador do Cariri Cangaço Manoel Severo que contou ainda com as presenças do Prefeito Municipal Gustavo Augusto Bisneto, da primeira-dama do município, dona Fátima Augusto, do representante da SBEC, Aderbal Nogueira, do padre Agostinho Santos e dos pesquisadores João Tavares Calixto Junior e Emerson Monteiro.

"É uma grande alegria voltar à querida Lavras da Mangabeira , terra de Dona Fideralina, com nosso Cariri Cangaço 2014, consolidando de vez nosso evento no Vale do Salgado, realmente gostaria de dizer de nossa imensa gratidão a Tavinho, Cristina e toda a equipe de nossa querida princesa do Salgado" ressaltou Manoel Severo. Já o prefeito Gustavo Augusto Bisneto; Tavinho; falou da grande "honra em receber pelo segundo ano seguido um evento tão qualificado e responsável pelo resgate de nossa cultura e história que é o Cariri Cangaço, contem comigo sempre".

Cristina Couto "Beata Mocinha"...
 Reclus De Plá e Aderbal Nogueira
Prefeito Tavinho, dona Fátima, Dimas Macedo, Mundoca Neto e Manoel Severo

Na oportunidade a Curadoria do Cariri Cangaço homenageou a família Lavrense na pessoa do poeta Mundoca Neto que recebeu o Diploma de Amigo do Cariri Cangaço, como também foram entregues Diplomas de Honra ao Mérito ao Prefeito Gustavo Augusto e à Secretária de Cultura Cristina Couto.

O momento alto da noite foi a Conferência do pesquisador, escritor e poeta, Dimas Macedo que com o Tema "Padre Cicero, a participação de Lavras e a questão do Juazeiro" abordou de maneira magistral a ligação do mítico santo do Juazeiro do Norte com Lavras da Mangabeira.A Mesa de debates contou ainda com a participação dos Conselheiros Cariri Cangaço, José Cícero Silva e Aderbal Nogueira e dos pesquisadores João Tavares Calixto Júnior, Emerson Monteiro e Miran Basílio.

 Poeta Mundoca Neto
Prefeito Gustavo Augusto Bisneto 
Caravana Cariri Cangaço em Lavras da Mangabeira 2014
José Cícero, Padre Agostinho Santos, Ari Camargo e Reclus De Plá

 "O pesquisador Dimas nos brindou com uma Conferência de Luxo nesta noite, irretocável, só nos resta aplaudir esse grande momento do Cariri Cangaço" afirma o pesquisador e escritor, radicado em Aracaju, Archimedes Marques. "Sem dúvida muitas revelações, uma Conferência brilhante, sensacional, Dimas precisa colocar isso em livro" assevera João Calixto Junior. Miran Basílio e José Cícero também confirmaram a importância do tema e da apresentação de Dimas Macedo na noite Cariri Cangaço em Lavras da Mangabeira.

"Monsenhor" Dimas Macedo


O debate agigantou a apresentação de Dimas Macedo. Aderbal Nogueira; conselheiro Cariri Cangaço, representando a SBEC na noite, provocou: "Padre Cícero seria o mesmo se não fosse Floro Bartolomeu?" Dimas Macedo arrematou:

"Seria Melhor !" 
e concluiu: 
"Padre Cícero se tornou grande, 
apesar de Floro!"

Dentre as inúmeras presenças na noite de abertura do Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014 destacaram-se pesquisadores de vários estados da federação, representantes de grupos de estudos de cangaço, professores, alunos, além de secretários de cultura de várias cidades do cariri, como:José Cícero de Aurora; Ticiano Linard de Porteiras; Miran Basílio de Brejo Santo e Carlos Maurício de Várzea Alegre.

Manoel Severo
Curador do Cariri Cangaço
Cariri Cangaço Lavras da Mangabeira 2014
Fotos: José Cícero, Louro Teles e Luiz Gerson